Curta nossa página no Facebook :

Powered By | Blog Gadgets Via Blogger Widgets

7 de jan de 2010

Wildcard Weekend: é a hora dos playoffs da NFL




A temporada 2009/2010 já virou passado - tenebroso ou não - para 20 das 32 equipes que fazem parte da NFL, a liga profissional de futebol americano dos Estados Unidos. E a hora da verdade começa para oito das doze equipes que chegaram aos playoffs neste final de semana, quando teremos a primeira rodada do mata-mata da NFL, o Wildcard Weekend. A seguir um pequeno resumo dos confrontos deste final de semana, em que teremos a inusitada repetição de três duelos que ocorreram no pultimo domingo.

AFC (Conferência Americana)
Folgam essa semana:
#1 Indianapolis Colts [14-2]
#2 San Diego Chargers [13-3]

Sábado, 09 de janeiro, às 19:30 (ESPNI ao vivo): #5 New York Jets [9-7] @ #4 Cincinnati Bengals [10-5]

O massacre imposto pelo Jets no último domingo (37 a zero) não deve se repetir nesse sábado. A equipe do Bengals poupou alguns jogadores (caso de Cedric Benson e Domata Peko, por exemplo) exatamente para estar 100% no jogo em que a derrota pode realmente custar toda a temporada.
Mas a torcida de Cincinnati está preocupada com a queda de rendimento da equipe nas últimas rodadas, que ainda sofre com a trágica morte do wide receiver Chris Henry. A expectativa é de que o trio Carson Palmer-Cedric Benson-Chad Ochocinco consiga superar a forte defesa do Jets, o que não será fácil. Com a chegada de Rex Ryan, que era o coordenador defensivo do Baltimore Ravens, o Jets teve a menor média de pontos sofridos na temporada e de jardas cedidas na temporada. O duelo entre o cornerback Darrelle Davis e o WR Chad Ochocinco deve ser um dos grandes momentos do fim-de-semana.
Já o duelo entre o ataque do Jets e a defesa do Bengals pode ser definido se a secundária de Cincy conseguir parar o ataque corrido de Nova York. Os running backs do Jets garantiram à equipe o melhor ataque terrestre em jardas totais da liga, principalmente graças a Thomas Jones, que correu para 1402 jardas e 14 touchdowns. Parando Jones, Washington e cia., a defesa do Bengals jogará a responsabilidade de decidir para o Jets nas mãos do quarterback rookie Mark Sanchez que, com certeza, não é o responsável pela campanha da equipe: o jovem QB vindo da Universidade de Southern California conseguiu apenas 12 TDs, e foi interceptado 20 vezes. Com Sanchez precisando passar para o irregular WR Braylon Edwards, os jogadores da secundária de Cincinnati podem se tornar os heróis da partida. Com certeza, Leon Hall e Jonathan Joseph estarão atentos a todos os movimentos do líder do ataque do Jets.


Domingo, 10 de janeiro, às 16:00: #6 Baltimore Ravens [9-7] @ #3 New England Patriots [10-6]

A grande questão em relação à partida é: como irá jogar o Patriots sem Wes Welker? O wide receiver era o alvo principal de Tom Brady, com 123 recepções na temporada. Mas um joelho estourado na última partida vai deixar o jogador fora de combato por pelos seis meses. Sem Walker, com suas rotas precisas e excelente capcodade de fugir da marcação, o ataque de New England vai depender da capacidade de Julian Edelman em fazer o trabalho do #83. Caso contrário, Brady vai ter que forçar os passes com Randy Moss, que deve receber cobertura dupla da secundária do Ravens. Outra alternativa seria investir no jogo corrido com Fred Taylor.
A ausência de Wes Welker pode ajudar a defesa do Ravens que, mesmo não sendo a mesma da temporada passada, é muito física e conta com jogadores do porte do linebacker Ray Lewis e a "águia magnética" Ed Reed, um dos melhores safeties da liga. O ataque de Baltimore não é dos mais explosivos da NFL, mas a dupla de running backs Ray Rice e Willis McGahee vem crescendo, e podem se aproveitar do fato de que a defesa do Patriots, que já não é a mesma de outrora, não terá Vince Willfork. Quem pode acabar sendo o fiel da balança é o quarterback do Ravens, Joe Flacco, se conseguir equilibrar o jogo de corrido com os passes para seus recebedores.


NFC (Conferência Nacional)
Folgam essa semana:
#1 New Orleans Saints [13-3]
#2 Minnesota Vikings [12-4]

Sábado, 09 de janeiro, às 23:00 (ESPNI ao vivo): #6 Philadelphia Eagles [11-5] @ #3 Dallas Cowboys [11-5]

Eagles e Cowboys repetem o confronto do último domingo, quando uma vitória de Philly daria à equipe o título da NFC East, o #2 da conferência e a folga na primeira rodada. Mas o Cowboys simplestemente atropelou o rival de divisão e ainda conquistou o direito de manter a revanche em casa.
E a parada não deve ser nada fácil para o Eagles, que terá de encarar os mais de cem mil torcedores que devem lotar o novíssimo Texas Stadium. Além da fanática torcida, o Cowboys venceu as três últimas partidas, com o QB Tony Romo em grande fase: são mais de 4400 jardas de passe, 26 TDs e apenas 9 interceptações. Romo, que sempre fez boa dupla com o tight end Jason Witten, encontrou em Miles Austin um outro alvo confiável. O jovem WR tem mais de 1300 jardas recebidas e 11 touchdowns. Marion Barber, um dos mais raçudos running backs da liga, pode ser o diferencial nas jogadas próximas à endzone.
Mas a defesa do Cowboys também terá um grande desafio pela frente, principalmente com os passes de Donovan McNabb para o velocíssimo WR DeSean Jackson, especialista em marcar touchdowns de mais de 50 jardas. Entretanto, McNabb precisa que a linha ofensiva segure as blitzes que a defesa de Dallas vai promover o jogo inteiro.


Domingo, 10 de janeiro, às 19:40 (Bandsports ao vivo): #5 Green Bay Packers [11-5] @ #4 Arizona Cardinals [10-6]

Outro confronto entre equipes que jogaram na última semana e, assim como o NY Jets e o Dallas Cowboys, a equipe de Green Bay sabe que terá uma parada duríssima em Phoenix. Afinal, o Arizona Cardinals não se deixou abater pela derrota no último Superbowl, e venceu a NFC West com uma campanha ainda melhor que a de 2008/2009.
O trio de wide receivers à disposição de Kurt Warner continua merecendo toda atenção das secundárias inimigas, principalmente se lembrarmos de Larry Fitzgerald e seus 13 TDs. E o jogo corrido do Cards melhorou muito com Tim Hightower e Beannie Wells, o que ajuda a desafogar o ataque. E um ataque balanceado é essencial contra a defesa de Green Bay, a segunda melhor da liga este ano. O esquema 3-4 instituído por Dom Capers este ano, se pareceu vacilante no início, acabou transformando a defesa do Packers numa das mais temidas pelos adversários, com 51 sacks e 30 interceptações. E Charles Woodson pode se transformar num pesadelo para Warner: o veterano CB já conseguiu nove interceptaçoes nessa temporada, sendo três delas retornadas para touchdown.
Além da defesa, Green Bay tem em Aaron Rodgers o quarterback que precisava para substituir Brett Favre. Em sua segunda temporada como titular, Rodgers por pouco não bateu o recorde de jardas passadas do lendário #4: foram 4434 jardas, 25 a menos do atual recorde. Mesmo com a vacilante proteção da linha ofensiva, Rodgers conseguiu proteger a bola e ser interceptado apenas sete vezes, e conseguindo 30 TDs pelo ar. Será um belo desafio para a defesa do Cardinals, que tem nomes de destaque como Karlos Dansby, Adrian Wilson, Antrel Rolle e Dominique Rodgers-Cromartie.
Related Posts with Thumbnails
Confira também:
As melhores fotos da semana Eu queria ser... Essa é pra casar O melhor xerox por todos os tempos Momento Hipnotizante Cosplays de asiáticas Versão canina da música da Adele E se os personagens da Disney fossem maus Eduardo Sterblitch no Programa do Jô de 22/06/12 Keep calm and Chaves Você gosta de café? TEQUILAAAAAAAAA!

Artigos Relacionados

Related Posts with Thumbnails