Curta nossa página no Facebook :

Powered By | Blog Gadgets Via Blogger Widgets

12 de jan de 2010

Playoffs da NFL, Wildcard Weekend: três passeios e um duelo ao pôr-do-sol




Os playoffs da temporada 2009/2010 deixaram o melhor para o final, no eletrizante duelo entre Green Packers e Arizona Cardinals. Nas demais partidas, o que se viu foi o amplo domínio de uma equipe sobre a outra, a quebra de algumas escritas e estádios lotados, mesmo no rigoroso inverno da terra do Tio Sam.

AFC
#5 New York Jets 24 @ #4 Cincinnati Bengals 14

Quando Laveranues Coles recebeu o passe de Carson Palmer e marcou o primeiro touchdown do Bengals, a torcida que enfrentou o frio intenso no Paul Brown Stadium chegou a acreditar que a prersença nos playoffs daria novo ânimo à equipe, que vinha numa fase descendente na temporada regular. Amarga ilusão: com exceção do belíssimo desempenho de Cedric Benson, que correu para 169 jardas e um TD, o que se viu foi uma equipe apática e amplamente dominada pelo Jets. E os erros bisonhos do kicker Shayne Graham, que errou dois field goals, ajudaram a sacramentar a derrota de Cincinnati, que não vence uma partida de playoffs desde o início dos anos 1990.
O domínio da equipe de Nova York fica evidente na produtividade dos principais setores do time: se os números do quarterback Mark Sanchez não impressionam - 182 jardas de passe e um TD - o fato de não ter cometido nenhum turnover, aliado aos belos play actions que conseguiu (como no passe para o tight end Dustin Keller que resultou no touchdown da virada) foram decisivos para dominar a defesa de Cincy. O jogo corrido do Jets mostrou novamente sua força, com Shonn Greene e Thomas Jones marcando os outros TDs da equipe. Já a defesa manteve o mesmo desempenho que a transformou na número um da liga, com três sacks, dois fumbles forçados - um deles recuperado - e uma interceptação.


#6 Baltimore Ravens 33 @ #3 New England Patriots 14

Tom Brady jamais havia sido derrotado em palyoffs jogando no Gillette Stadium desde que se tornou o QB titular da equipe, na temporada 2001/2002. Foram sete vitórias seguidas que começaram a virar história logo na primeira jogada de ataque do Ravens, quando o RB Ray Rice correu 83 jardas para marcar o primeiro TD dos visitantes. E bastaram cinco minutos para a equipe de Baltimore marcar o segundo touchdown, com Le'Ron McClain. Ao final do primeiro quarto, Brady já havia cometido três turnovers (duas das três interceptações que sofreu, além de um fumble) e New England já perdia por 24 a zero.
A partir do segundo quarto, Baltimore precisou apenas controlar a partida e mostrar ao Patriots que o grande bicho-papão da década ainda pode ser uma das equipes mais fortes da NFL, mas está longe, muito longe de ser imbatível. A defesa do Ravens, além das interceptações e do fumble, derrubou Tom Brady em três oportunidades, e permitiu ao camisa 12 apenas 154 jardas aéreas. O ataque terrestre dos Corvos de Baltimore arrasou com a defesa dos Patriots, com o trio Rice, McClain e McGahee marcando quatros TDs. Quem destoou nesse ambiente amplamente favorável foi o QB Joe Flacco: com apenas quatro passes completos em dez tentados, Flacco conseguiu apenas 34 jardas, e foi interceptado uma vez.


NFC
#6 Philadelphia Eagles 14 @ #3 Dallas Cowboys 34

Entre as equipes que jogaram nesse final de semana, não é exagero dizer que Dallas possui o grupo que mais evoluiu nas últimas rodadas da temporada regular. E o Philadelphia Eagles, que foi surrado na semana 17, não teve forças para tentar superar os cinco vezes campeões do Superbowl.
Campeões que perderam seis partidas seguidas nos playoffs desde a última vitória, no distante 28 de dezembro de 1996, e que jamais haviam vencido uma equipe por três vezes na mesma temporada. Porém, com mais de 92 mil torcedores empurrando a equipe no Cowboys Stadium, não foi difícil para o Cowboys derrubar a dupla escrita. O técnico Wade Philips, que acumulava quatro derrotas na pós-temporada, e o QB Tony Romo, que também havia perdido duas vezes com o uniforme dos Cowboys, também se livraram do estigma de não terem sorte nas partidas decisivas.
O início da partida até prometeu um certo equilíbrio, com as duas equipes passando em branco no primeiro quarto e Philadelphia empatando o jogo logo na sequência do TD marcado por John Philips para o Cowboys: Michael Vick, quarterback reserva do Eagles, completou belo passe para Jeremy Maclin chegar à redzone, numa jogada de 76 jardas.
Mas logo Dallas dominou tanto a defesa quanto o ataque de Philadelphia e marcou 27 pontos seguidos, mandando o rival de divisão mais cedo para casa. Tony Romo, com 244 jardas e dois TDs e Felix Jones, com 148 jardas corridas e um TD, foram os principais destaques do ataque da estrela solitária do Texas. Porém, o melhor da festa ficou por conta de defesa, em especial o linebacker Bobby Carpenter, que recuperou dois fumbles para a equipe; um deles numa verdadeira trapalhada de Michael Vick. DeMarcus Ware também foi um dos gigantes da defesa, com dois sacks sobre Donovan McNabb.
E o quarterback principal de Philadelphia teve partida para esquecer: apesar de ter quase o mesmo número de jardas que Romo (230 contra 244), McNabb foi interceptado uma vez, foi derrubado em quatro oportunidades, perdeu um fumble e errou muitos passes devido à pressão da defesa adversária. O jogo corrido de Philly não existiu, com pouco mais de 50 jardas conquistadas. Para piorar, o veterano RB Brian Westbrook não teve uma corrida sequer.
Talvez o Cowboys seja o time mais "quente" dos playoffs, mas terá que viajar até a distante Minneapolis para enfrentar o perigoso Minnesota Vikings de Brett Favre, Adrain Peterson e Jared Allen. Mas, ao mesmo tempo que parece ser um adversário mais difícil que o combalido Eagles, a equipe do Vikings traz boas lembranças para o time mais popular da América: foi a equipe derrotada naquele distante 28 de dezembro de 1996...


#5 Green Bay Packers 45 @ #4 Arizona Cardinals 51

Pode-se dizer que a mais emocionante partida da rodada teve um verdadeiro anticlímax no final: num jogo em que os ataques fizeram a festa, foi um fumble recuperado por Karlos Dansby, logo no início da prorrogação, que decretou a vitória do Cardinals numa das melhores batalhas da temporada.
E não faltaram emoções desde o início da partida, que começou com o quarterback de Green Bay, Aaron Rodgers, sendo interceptado no primeiro passe do jogo, e seu primeiro passe numa partida de playoffs. Foi o primeiro dos dois turnovers cometidos pelo Packers antes dos cinco minutos iniciais, que permitiram à equipe comandada pelo velho mestre Kurt Warner abrir 14 a zero com facilidade. A defesa dos cabeças-de-queijo não conseguia acertar um tackle, e isso é fatal num ataque explosivo como o do Cardinals.
Com a vantagem de 31 a 10 conquistada logo no início do terceiro quarto, parecia questão de tempo a vitória de Arizona. Entretanto, o Packers marcou dois touchdowns em sequência, um deles graças a um corajoso onside kick após o TD marcado por Greg Jennings num passe de Rodgers, e a partida pegou fogo. O Cardinals ampliou novamente a vantagem num TD recebido por Larry Fitzgerald, mas James Jones e John Kuhn empataram a partida em 38 a 38, deixando a torcida presente no estádio da Universidade de Phoenix temerosa.
Mas quem tem Kurt Warner como quarterback sabe que o veteraníssimo jogador é capaz de grandes jogadas, e foi o que se viu na campanha que resultou no passe para o touchdown de Steve Breaston.Com tempo ainda no cronômetro, Green Bay não se abalou, e Rodgers comandou a campanha que levou Spencer Havner à redzone quando faltavam menos de dois minutos para o final de tempo regulamentar.
E foi tempo suficiente para Warner deixar Neil Rackers numa posição para chutar o field goal da vitória do Cards, mas o kicker errou o chute de menos de 40 jardas. Assim, restou apenas levar à partida para a prorrogação e o fatídico fumble que resultou no TD da vitória de Arizona.
Dentre tantos destaques na partida, vale ressaltar as mais de mil jardas de ataque das duas equipes, e o impressionante desempenho dos dois quarterbacks. Aaron Rodgers conseguiu 422 jardas de passe, cinco TDs (um deles correndo) e foi interceptado uma vez; Kurt Warner conseguiu ser ainda melhor: mesmo com um número menor de jardas passadas (379), o camisa 13 acertou 29 de 33 passes, cinco deles para touchdown, e teve um rating quase perfeito, acima de 150. E isso foi conseguido sobre a segunda melhor defesa da NFL.
Com a emocionante vitória, o Cardinals vai até New Orleans enfrentar o Saints, e precisa que a secundária fique mais atenta, pois o ataque comandado por Drew Brees é um dos mais perigosos da liga. Related Posts with Thumbnails
Confira também:
As melhores fotos da semana Eu queria ser... Essa é pra casar O melhor xerox por todos os tempos Momento Hipnotizante Cosplays de asiáticas Versão canina da música da Adele E se os personagens da Disney fossem maus Eduardo Sterblitch no Programa do Jô de 22/06/12 Keep calm and Chaves Você gosta de café? TEQUILAAAAAAAAA!

Artigos Relacionados

Related Posts with Thumbnails